Como modular positivamente nossos genes?

Por: As Nutris 07 de Junho de 2019

Epigenética é definida como modificações do genoma, herdável durante a divisão celular, que não envolve uma mudança na sequência do DNA, ou seja, tudo que está em nossa volta, além do que consumimos e vivenciamos são capazes de “ligar e desligar” os genes de acordo com o ambiente, sem necessidade de uma mudança no DNA, apenas o “desligamento”.

Mas como?

Essas mudanças de características são induzidas por influências externas que os genes enfrentam constantemente, sendo que os fatores ambientais mais citados são: poluição, alimentação, espiritualidade, saúde mental, interação social, cigarro, drogas, exercício físico, entre outros. Estes estão relacionados à mudanças no padrão de ligar e desligar durante a divisão celular.


Imagem: http://sitn.hms.harvard.edu

Através da epigenética, um organismo pode ajustar a expressão gênica de acordo com o ambiente onde vive, sem mudanças no seu genoma. Por exemplo, experiências vividas pelos pais (dieta, traumas emocionais, tratamento hormonal) podem ser transmitidas para os descendentes através da “memória epigenética”.

Diversos estudos têm demonstrado como essas características são passadas ao longo de gerações, como no caso de famílias onde os avós sofreram com grave escassez de alimentos, e que os filhos e netos apresentam maior risco de doenças cardiovasculares e diabetes. Outros estudos mostraram que mães podem passar diversas características emocionais aos filhos durante a gravidez, através da liberação de hormônios, regulando a expressão de genes após o nascimento.

Alimentos de origem vegetal possuem compostos bioativos (alguns exemplos na figura abaixo): que são nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Sua ingestão insuficiente favorece com o surgimento de muitas doenças crônicas não transmissíveis, como: obesidade, colesterol alto (hipercolesterolemia), doenças do coração (aterosclerose), diabetes, alguns tipos de câncer e hipertensão que estão relacionadas à alimentação com muitos produtos ultraprocessados (pães, embutidos, bolinhos, salgadinhos, doces, refrigerante, bebidas açucaradas, etc.).


Nosso estilo de vida pode contribuir “ligando” ou “desligando” determinados genes, e que isso também pode trazer consequências para as futuras gerações. 

Cada vez mais as pesquisas mostram como nossas escolhas de ambiente e estilo de vida podem ter influência em nossas células… e você, tem cuidado do seus genes (e dos seus filhos) tendo um vida saudável?

Para saber mais da nutrição de precisão baseada em teste genético clique aqui.

Espero que tenha gostado!

Matéria elaborada pelas estagiárias Marcella Barros, Nayara Nuemgeber e Nutr. Sheila Pachecco

Referências:

 http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/6957/11067

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722015000400023

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000600003

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/viewFile/5142/13877

http://ilhadoconhecimento.com.br/epigenetica-como-voce-pode-modular-seus-genes/

http://revistacarbono.com/artigos/03-epigenetica-e-memoria-celular-marcelofantappie/

https://www.theguardian.com/science/occams-corner/2014/apr/25/epigenetics-beginners-guide-to-everything

http://ead.hemocentro.fmrp.usp.br/joomla/index.php/noticias/adotepauta/669-mecanismos-epigeneticos

Vieira, Gilberto Cavalheiro. Admirável mundo novo: a epigenética. In: Evolução biológica: da pesquisa ao ensino. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2017. Capítulo 7, p. 177-212.