DIETA CETOGÊNICA X EMAGRECIMENTO

Por: As Nutris 02 de Maio de 2018

A dieta cetogênica, proposta por Wilder em 1921, é um tratamento não farmacológico utilizado na epilepsia refratária à terapêutica anti-epiléptica em indivíduos com esta patologia, essencialmente criançasDe acordo com a literatura, uma dieta é cetogênica quando a maior parte do aporte calórico é proveniente de gordura (70%-80%), proteínas (10%-15%) e carboidratos (5%-20%), ou seja, 3 ou 4 gramas de gordura para 1 grama de proteínas e carboidratos, respectivamente.

A dieta cetogênica não é uma estratégia equilibrada a longo prazo por implicar limitações na alimentação. Os grandes fornecedores de vitaminas e minerais, como a fruta, alguns legumes e os cereais são exemplos de alimentos com menor representação nesta dieta. Por essa razão, é essencial a suplementação de vitaminas do complexo B, por isso deve ser prescrita e acompanhada por um nutricionista.

O que ocorre quando mudamos a fonte energética?

O corpo começa utilizar gordura ao invés de carboidratos para as reações que ocorrem no metabolismo.  Levando a estado de Cetose, que nada mais é do que a liberação de corpos cetônicos na corrente sanguina. Esse produto do metabolismo que vai servir de energia e auxiliar no emagrecimento.

Como isso pode contribuir para o emagrecimento?

A relação de dieta com o emagrecimento é devido à oferta de calorias reduzidas com o objetivo de que o organismo use as reservas (glicogênio e gordura) para as reações metabólicas. Quando combinadas à dieta cetogênica, a gordura depositada nas células do tecido adiposo, encontradas em sua maioria na região abdominal é utilizada como fonte de energia para o corpo. O que contribui para a redução de gordura corporal e favorece o ganho de massa magra. (BURKE ET al., 2017, MCSWINEY ET al., 2017, FREITAS, 2017).

Como a ingestão de fontes de gordura é alta, é possível que haja a necessidade de suplementação de TCM (triglicerídeo de cadeia média) a fim de atingir as recomendações. O TCM é uma boa fonte de gordura adquirida de maneira suplementada, que fornece energia, devido à sua absorção rápida pelo organismo, a quantidade ingerida varia de acordo com as necessidades de cada individuo, para isso consulte um nutricionista!

Qual a ação dos corpos cetônicos para o emagrecimento?

Quando se faz uso da dieta cetogênica, entra-se em um estado de cetose, onde esses corpos cetônicos ficam elevados por muito tempo no organismo. Dessa maneira, varias reações ocorrem no corpo todo, e algumas delas podem contribuir para o emagrecimento.

Como por exemplo, a liberação de adrenalina e hormônios do crescimento, que vão aumentar o ganho de massa magra e favorecer a perda de gordura corporal. A oxidação de gordura ocorre em maior quantidade durante o estado de cetose.

Outro fator importante é sua ação no índice glicêmico, como não há carboidratos em abundancia existe uma redução nos níveis séricos de insulina e glicose. Para pessoas portadoras de diabetes mellitus tipo 2 é uma boa alternativa para o controle da mesma, juntamente com o uso dos medicamentos necessários e o monitoramento medico e do nutricionista, a fim de impedir a queda brusca dos níveis glicêmicos, conhecido como hipoglicemia. (FREITAS, 2017).

Além disso, pode influenciar na redução no perfil lipídico (triglicérides e LDL, os principais marcadores de doenças cardiovasculares), e pressão arterial. (FREITAS, 2017).

Claro que esses resultados são obtidos com maior eficiência quando combinados a prática de exercícios físicos com frequência.

Como saber se está em um quadro de cetose?

O controle dos níveis de corpos cetônicos sérico deve ser monitorado para garantir que a dieta está sendo aplicada de maneira correta, e evitar elevação extrema causando toxicidade. Pode ser feito através de exame de sangue onde os marcadores são de 1,5mmol/L, ou teste caseiro de urina com fitas para medir nível de Cetose.

 É necessário que a prescrição seja feita por um profissional nutricionista, pois deve respeitar a individualidade de cada um, bem como a sua adaptação à dieta.

Lembrando que, a estratégia não invalida a utilização de outros planos alimentares.


Matéria elaborada pela estagiária Byanca Batista.

Supervisionada por: Nutr. Sheila Pacheco 


Referências:

BURKE, Louise M. et al. Low carbohydrate, high fat diet impairs exercise economy and negates the performance benefit from intensified training in elite race walkers. The Journal Of Physiology, [s.l.], v. 595, n. 9, p.2785-2807, 14 fev. 2017. Wiley. http://dx.doi.org/10.1113/jp273230.

 

FREITAS, Cristina Maria de Sousa Vaquero da Silva. Dieta cetogênica no tratamento da obesidade. 2017. 30 f. Monografia (Especialização) - Curso de Nutrição, Universidade do Porto, Porto Seguro, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2018

 

ROLA, Marta; VASCONCELOS, Carla. Dieta Cetogênica - Abordagem Nutricional. Revista Nutrícias, Porto, v. 22, p.16-19, 2014. Disponível em: . Accesso em: 30 abr. 2018.

 

MCSWINEY, Fionn T. et al. Keto-adaptation enhances exercise performance and body composition responses to training in endurance athletes. Metabolism, [s.l.], dez. 2017. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.metabol.2017.11.016.
VOLEK, Jeff S. et al. Metabolic characteristics of keto-adapted ultra-endurance runners. Metabolism, [s.l.], v. 65, n. 3, p.100-110, mar. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.metabol.2015.10.028.