Coca-Cola lança bebida com mais cafeína na composição e menos calorias. Solução ou um novo problema?

Por: As Nutris 06 de Agosto de 2018


A novidade no mercado brasileiro é o refrigerante Coca-Cola Plus Café Espresso. Esta versão comparada com a original, possui um teor de 40% a mais de cafeína e é menos calórica, pois tem 50% menos açúcar - é adoçada com açúcar, adoçantes sucralose e acessulfame K (leia a matéria sobre sucralose clicando aqui)

Imagem: https://abrilvejasp.files.wordpress.com/2018/07/coca-cola-plus-cafe-expresso.jpg?quality=70&strip=info&w=650


Porém é importante sinalizar alguns prejuízos à saúde, caso consuma cafeína em excesso (e tenha a predisposição genética)... Bom, explicando melhor, a cafeína é metabolizada no nosso organismo por uma enzima hepática que é codificada pelo gene CYP1A2.

Resultado de imagem para coffe png

Imagem: https://cdn.pixabay.com/photo/2016/08/05/17/31/coffee-1572738_960_720.png

Diferentes níveis da atividade enzimática desse gene são resultados de alterações genéticas (polimorfismos), que causam consequentemente um impacto na velocidade de metabolização da cafeína. Para saber se o indivíduo é um “Metabolizador lento” ou “Metabolizador rápido” é necessário realizar o teste genético.

No caso de um "Metabolizador lento", a cafeína pode ter um efeito estimulante mais duradouro ou provocar efeitos adversos (doenças cardiovasculares, por exemplo). Nesse caso, deve-se limitar o consumo de café (no máximo 2 xícaras/dia) ou de outras bebidas com cafeína (chás, suplementos, chocolates, refrigerantes, etc.).

O efeito estimulante da cafeína ainda depende da quantidade da substância que é consumida, do tabagismo, ou utilização de fármacos que são metabolizados pela mesma CYP (gene), ou seja, na dúvida aprecie seu café com moderação.


Elaborado pela estagiária: Laura Gonçalves

Supervisionado pela Nutr. Sheila Pachecco

REFERÊNCIAS

AGUIAR, Rafael Alves de et al. Efeito da ingestão de cafeína em diferentes tarefas de tempo de reação. Rev. Bras. Ciênc. Esporte [online]. Florianópolis, vol. 34, n. 2, pp. 465-476, jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-32892012000200015&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 06 de agosto de 2018.

ATTWOOD, A. S.; HIGGS, S.; TERRY, P. Differential responsiveness to caffeine and perceived effects of caffeine in moderate and high regular caffeine consumers. Psychopharmacology, Berlim, v. 190, n. 4, p. 469-477, mar. 2007. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17136398>. Acesso em: 06 de agosto de 2018.

VEJA.COM. Coca-Cola Plus Café Espresso é lançada no Brasil. https://veja.abril.com.br/blog/radar/coca-cola-plus-cafe-espresso-e-lancada-no-brasil/