Estudo sugere que o HDL, chamado de "bom colesterol", pode aumentar o risco de morte

Por: As Nutris 18 de Setembro de 2018

O excesso do chamado "bom colesterol" pode aumentar o risco de ataques cardíacos e morte, de acordo com um estudo apresentado no dia 25 de agosto de 2018, na conferência da Sociedade Europeia de Cardiologia, em Munique.

A lipoproteína de alta densidade (HDL) é amplamente considerada como um colesterol “bom” porque ajuda a impedir que as artérias sejam bloqueadas, transportando outras formas de colesterol do sangue e das paredes dos vasos sanguíneos para o fígado e para fora do corpo. Estudos anteriores associaram baixos níveis de colesterol HDL a artérias obstruídas e doenças cardíacas. Já os efeitos dos níveis excessivos de HDL são menos compreendidos.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Emory, orientados pelo Dr. Marc Allard-Ratick, autor do estudo e médico hospitalista da Escola de Medicina da Universidade Emory, estudaram os níveis de colesterol e o risco de ataque cardíaco e morte em 5.965 pessoas. A maioria dos participantes tinha doença cardíaca e idade média de 63 anos.

Os pesquisadores usaram essas informações para dividir os participantes em cinco níveis de HDL, classificados de baixo a alto:

  • Menos de 30 mg/dl (0,78 mmol/L)

  • 31-40 mg/dl (0,8-1 mmol/L)

  • 41 a 50 mg/dl (1,1-1,3 mmol/L)

  • 51-60 mg/dl (1,3-1,5 mmol/L)

  • Maior que 60 mg/dl (1,5 mmol/L)


Após quatro anos, 769 participantes do estudo morreram de ataque cardíaco ou de doença cardíaca. Os resultados produziram uma curva em forma de U, mostrando aqueles com baixos níveis de HDL e níveis muito altos em risco de morte. Um nível de HDL maior que 60 mg/dl acarretou um risco quase 50% maior de morrer de um problema cardíaco quando comparado àqueles com níveis entre 41 e 60 mg/dl.

Os resultados espelham as descobertas de um estudo publicado no início

deste ano no European Heart Journal[1], que indicou similarmente que altos níveis de HDL estavam associados a doenças cardíacas e ao risco de morte.

Mais pesquisas são necessárias para descobrir o que está por trás dessa associação paradoxal.

Allard-Ratick explicou que os resultados são importantes porque contribuem para aumentar evidências de que níveis muito elevados de colesterol HDL podem não ser protetores, e porque, ao contrário de muitos outros dados disponíveis até o momento, este estudo foi principalmente em pacientes com doença cardíaca estabelecida.

Referências

[1] Extreme high high-density lipoprotein cholesterol is paradoxically associated with high mortality in men and women: two prospective cohort studies, disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28419274.


NEWS.MED.BR, 2018. HDL colesterol, conhecido como "bom colesterol", pode aumentar risco de morte, sugere estudo. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2018.


Fonte: European Society of Cardiology - Press Releases, em 25 de agosto de 2018