MELATONINA

Por: As Nutris 18 de Fevereiro de 2019

A melatonina é um hormônio natural produzido a partir do triptofano (aminoácido do bem-estar), em uma pequena parte do cérebro, chamada de glândula pineal. Também é encontrada em outras áreas, como os olhos, intestino e medula óssea. Sua função principal é ajudar o organismo a se preparar para dormir, ou seja, induzir o sono. É considerado o sinônimo de boas noites de sono, pois controla o ritmo circadiano, ou seja, modula o nosso “relógio interno” localizado no cérebro, para regular o sono e alerta/vigília.




Sua produção é tanto responsável quanto dependente de boas noites de sono, sendo em maior quantidade durante a noite, quando estamos dormindo. Como na seguinte situação: para um indivíduo que dorme em torno das 22hrs, o pico máximo da produção de melatonina é por volta das 2h da manhã. Mas, a tendência é reduzirmos essa capacidade de produção conforme o envelhecimento, atingindo níveis baixíssimos após os 50 anos, faixa etária bastante acometida por distúrbios do sono.



Algumas situações podem desregular o ciclo da melatonina, como: longas viagens, empregos noturnos e exposição a luzes fortes no início da noite.



Recentemente, a melatonina sintética tornou-se disponível para compra em farmácias de manipulação, para uso de tratamento e prevenção em diversos tipos de doenças neurológicas e degenerativas, como o autismo, síndrome de déficit de atenção e hiperatividade e Parkinson, que resultam em distúrbios do sono e dos ritmos biológicos circadianos.

Fonte: https://www.amazon.com/NOW-Melatonin-180-Veg-Capsules/dp/B003KLROVY



Além dos efeitos terapêuticos, a melatonina contém propriedade antioxidante e antiinflamatória, podendo também ajudar no processo de emagrecimento.


Isso porque, durante a noite quando os níveis de melatonina estão altos e o corpo está em jejum, toda energia armazenada na forma de gordura ou de açúcar durante o dia que vai garantir o funcionamento do organismo no período da noite. Parte dessa energia é usada pelo tecido adiposo marrom – tipo de gordura utilizada para o gasto de energia, enquanto a gordura branca a armazena – para produzir calor e manter o corpo aquecido durante o período de descanso, onde há pouca contração muscular. O consumo de energia pela gordura marrom é tão elevado à noite que, no balanço geral, compensa o que havia sido estocado de dia, resultando em um peso corporal praticamente inalterável.




Além disso, o metabolismo energético está sob controle do ritmo circadiano, na qual a melatonina faz parte, sendo assim, importante nos processos fisiológicos para promover o equilíbrio energético e a regulação do peso corporal. Estudos apontam que mesmo com uma produção pineal intacta deste hormônio, a suplementação pode reduzir a longo prazo o peso corporal (cerca de 25%) e o tamanho dos depósitos de gordura visceral (em 50%), pois como já foi dito, promove um aumento na temperatura corporal e consequentemente, o aumento do gasto energético.



Veja abaixo o esquema com algumas das alterações que ocorrem com o nosso organismo durante o dia X durante a noite.



Fonte: http://revistapesquisa.fapesp.br/2015/04/10/uma-conexao-entre-o-sono-e-a-fome/




Acompanhem todas as novidades no nosso instagram: @asnutris

 

 

Conteúdo elaborado por Thais e supervisionado pela Nutricionista Sheila Pachecco.




REFERÊNCIAS:


https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/jpi.12137


https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24554058


http://portal.anvisa.gov.br/


http://europepmc.org/abstract/med/26692007


https://www.endocrino.org.br/media/uploads/PDFs/posicionamento_sobre_melatonina_sbem.pdf


http://revistapesquisa.fapesp.br/2015/04/10/uma-conexao-entre-o-sono-e-a-fome/


Costa RM, Martins IS. Melatonina na insônia primária: Quais as evidências? Rev Bras Med Fam Comunidade. 2016;11(38):1-9. http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc11(38)845